Articulação Antinuclear do Ceará pede ao Ibama que não licencie mineração de urânio

Nesta segunda-feira (14/08), a Articulação Antinuclear do Ceará (AACE) se reuniu com o superintendente do IBAMA no Estado, Herbert Lobo para entregar à autarquia federal uma série de documentos que atestam a inviabilidade socioambiental do Projeto Santa Quitéria, empreendimento que pretende realizar a mineração de urânio e fosfato na Jazida de Itataia, localizada em Santa Quitéria, a 222 Km de Fortaleza.

Durante a reunião, o Superintendente do Ibama sinalizou que está acompanhando o licenciamento ambiental do Projeto Santa Quitéria, mas que a responsabilidade por sua condução é da Diretoria de Licenciamento Ambiental da Superintendência do Ibama em Brasília (DILIC). Mesmo assim, ressaltou que, de acordo com as informações que tem recebido da DILIC, a perspectiva é de que o Projeto Santa Quitéria não receba as licenças ambientais em virtude de sua inviabilidade hídrica e energética.

Participaram da reunião agricultores(as) dos assentamentos e das comunidades mais próximas à jazida, além de pesquisadores(as), advogados(as), jornalistas, representantes de movimentos sociais e moradores(as) de Canindé. Pelo Ibama, estiveram presentes Herbert Lobo, superintendente da autarquia no Ceará, e George Luiz Sampaio Teixeira, superintendente substituto.

Entre os documentos entregues ao Ibama, destaca-se o parecer da Universidade Federal do Ceará (UFC) que apresenta as irregularidades do relatório da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (COGERH) sobre o Projeto Santa Quitéria e comprova a inviabilidade hídrica do empreendimento.

Além do parecer, foi entregue a CARTA PÚBLICA lançada pela AACE em março de 2017. Assinada por mais de 40 instituições de diferentes regiões do Brasil e do mundo, a carta requer à Direção do Ibama o cancelamento do licenciamento ambiental da mineração de urânio e fosfato e tem sido divulgada por organizações como a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), a Rede Brasileira de Justiça Ambiental e o Comitê de Solidariedade com a América Latina (LAG).

Projeto Santa Quitéria

O Projeto Santa Quitéria pretende explorar a Jazida de Itataia para produzir anualmente 1.600 toneladas de concentrado de urânio e 1.050.000 toneladas de derivados fosfatados destinados à energia nuclear e à produção de ração animal e fertilizantes para o agronegócio.

Proposto pela estatal Indústrias Nucleares do Brasil (INB) e pela Galvani Indústria, Comércio e Serviços S.A (controlada pela mineradora norueguesa Yara), o empreendimento planeja consumir o equivalente a 125 carros-pipa de água por hora e pode contaminar com resíduos radioativos 156 comunidades, 3 bacias hidrográficas e mais de 60 municípios do Ceará, incluindo Fortaleza.

Em setembro de 2016, a equipe técnica do Ibama emitiu parecer atestando a inviabilidade socioambiental do projeto, principalmente no que se refere ao tratamento das questões hídricas e energéticas. Apesar disso, até hoje, a Diretoria do Instituto não se pronunciou formalmente assinando o mencionando parecer e arquivando o processo de licenciamento ambiental do empreendimento.

Exibições: 37

Comentar

Você precisa ser um membro de Articulação Antinuclear Brasileira para adicionar comentários!

Entrar em Articulação Antinuclear Brasileira

Fazemos parte da Frente por uma Nova Política Energética

Acesse!

Site      Facebook    Twitter

© 2019   Criado por Articulação Antinuclear BR.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço