Articulação Antinuclear Brasileira

A Articulação Antinuclear Brasileira (AAB) foi criada em 2011 e é Integrada por indivíduos, entidades, movimentos socioambientais e pesquisadores.

Buscamos fortalecer a luta antinuclear, defendendo o uso de energias renováveis e de um Brasil livre do nuclear.

Redes Sociais

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos
 

Mensagens de blog

Energia nuclear não é alternativa para o aquecimento global

Postado por Articulação Antinuclear BR em 4 junho 2024 às 14:46 0 Comentários

Energia nuclear não é alternativa para o aquecimento global

Heitor Scalambrini Costa*

Zoraide Vilasboas **

O poderoso lobby da energia nuclear sempre inventa discursos, narrativas, simplificações argumentativas, maneiras criativas, em sua maioria recheadas de mentiras em defesa de seus interesses ideológicos e econômicos. E assim, enganam e tentam soerguer uma indústria que nunca conseguiu entregar à sociedade as promessas de oferecer uma fonte de energia barata, segura e sustentável. A aceitação de usinas atômicas pelos alemães, por exemplo – que tinham pavor à tecnologia nuclear após as hecatombes de Hiroshima e Nagasaki – foi embalada pela promessa de que seria distribuída gratuitamente.

Só para citar uma das maiores mentiras, propagandeadas a quatro ventos, foi a introdução da denominação “energia limpa” na marca da Eletronuclear, empresa cujo objetivo é instalar e operar usinas termonucleares no país. Talvez com mais esta mentira, alguns acreditem que a tecnologia atômica será mais facilmente aceita, digerida, absorvida pela sociedade brasileira.

Até o reino mineral sabe que não existe fonte de energia que não cause problemas sociais e impactos ao meio ambiente, com…

Continuar

Articulação nacional alerta governo federal contra os perigos da energia nuclear

Postado por Articulação Antinuclear BR em 27 maio 2024 às 19:30 0 Comentários

Em 24 de maio de 2024 protocolamos esta carta antinuclear (abaixo) ao Presidente Lula, como este texto de encaminhamento.

Sr. Presidente*,

A catástrofe do Rio Grande do Sul impõe uma politica ambiental preventiva capaz de responder aos desafios da emergência climática e de evitar a amplificação dos efeitos dos eventos climáticos extremos, como ocorre agora naquele estado.

Nessa perspectiva, mais de 200 entidades, cidadãos e cidadãs, também pesquisadores de várias instituições, subscreveram a Carta Aberta da Articulação Antinuclear Brasileira levando a V. Exa. a preocupação da sociedade civil com as polêmicas decisões da política energética nacional. Para evitar novas calamidades, é urgente a…

Continuar

Pequenos Reatores Nucleares na Amazônia – a que ponto chegou a insanidade!

Postado por Articulação Antinuclear BR em 3 maio 2024 às 20:30 0 Comentários

Célio Bermann*

Tenho muito apreço a técnicos em contabilidade, também a advogados, como também a delegados de polícia. Entretanto, estas prerrogativas que estão presentes na formação acadêmica e exercício profissional do atual Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira de Oliveira, não o qualificam para o cargo que exige, ao menos, um mínimo conhecimento técnico.

Esta não é uma situação nova, se examinarmos as qualificações dos ministros que se sucederam no cargo nos últimos 25 anos, e suas manifestações por vezes desprovidas de lógica, sensatez, tecnicamente infundadas, e que foram emitidas sem o necessário amparo de assessores qualificados.

Foi o que aconteceu no último dia 17 de abril quando, por ocasião do “Fórum Distribuição de qualidade para a inclusão e transição energética”, evento realizado pela Editora Globo em parceria com a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE), o ministro Alexandre Silveira propôs a substituição dos grupos geradores a óleo diesel que alimentam as comunidades isoladas na Amazônia por pequenos reatores nucleares.

Vamos aos fatos!

Os também chamados Pequenos Reatores Modulares-PRMs (Small Modular Reactors na língua inglesa ou SMRs) são pequenas usinas de geração que variam de 50 MWe a 300 MWe, utilizando para a produção de calor a fissão nuclear, a exemplo das usinas de maior porte (1.000 MWe ou mais). Os PRMs são de diversas tecnologias, com combustíveis nucleares específicos e refrigeração também diversificada: PRM resfriado a Água; PRM resfriado a…

Continuar
 
 
 

Fazemos parte da Frente por uma Nova Política Energética

Acesse!

Site      Facebook    Twitter

© 2024   Criado por Articulação Antinuclear BR.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço